Mochila pesada pode causar sérios problemas na coluna

0
177

Livros, cadernos, pastas, lanche. Só com itens básicos, a mochila do estudante já adquire um bom peso. Somada a outros materiais como objetos eletrônicos, brinquedos e roupas, o peso pode ultrapassar o recomendado por fisioterapeutas e ortopedistas e se tornar um potencial problema de postura e até de coordenação motora.

Dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) indicam que 85% das pessoas têm, tiveram ou terão um dia dores nas costas provocadas por problemas de coluna. O que muitas pessoas não sabem é que essa dor pode estar relacionada ao peso da mochila que a pessoa usou na época da escola. Para os pais, é importante que fiquem atentos e evitem o excesso de peso nas mochilas dos seus filhos. Isso pode evitar dores e complicações futuras.

#Mochila pesada2- Saude em dia tvExiste uma forte relação entre o excesso de peso na mochila com alterações e dores na coluna e alterações no caminhar. Especialistas recomendam que estudantes carreguem até 10% do peso corporal. Por exemplo: se a criança tem 30 quilos, sua mochila deve pesar três quilos.

Se o excesso de peso se prolongar, pode resultar em doenças como a escoliose (desvio lateral da coluna), a cifose (curvatura da espinha vertebral promovendo o arqueamento das costas) e a hiperlordose (acentuação da concavidade lombar).
Como solucionar este problema?

Especialistas recomendam que os pais verifiquem as mochilas para observar se os pequenos estão levando utensílios desnecessários para a aprendizagem, além de discutir com a escola maneiras para que essa mochila fique mais leve, como a utilização de armários para crianças deixarem algum material no próprio local de ensino.

Outra dica valiosa é trocar a mochila convencional por um modelo com rodinhas. A atenção fica para a altura da alça do carrinho: a criança deve ficar com a coluna retinha e não curvada para alcançá-la, pois uma alça mal regulada sobrecarrega o quadril e joelhos, o que pode causar inflamações e dor no crescimento.

Se a escolha for pela mochila sem rodinhas, ela deve ser do tamanho da criança para ajustar-se bem à coluna e sem folga. A mochila solta pode puxar o corpo para trás e forçar os músculos, além de fazer a criança curvar os ombros para facilitar o equilíbrio. O fundo da mochila deve ficar apoiado na curva lombar da coluna. Nunca deve ficar a mais de 10 centímetros abaixo da região da cintura da criança. Ao escolher uma mochila, é importante que ela seja leve. Quando estiver vazia, não deve pesar mais que meio quilo.

As alças de ombro devem ser bem acolchoadas, reguláveis e com largura mínima de quatro centímetros na altura dos ombros. Outro recado fundamental: nunca deixe seu filho levar a mochila em uma única alça, isso sobrecarrega apenas um dos ombros. Além disso, o material deve ser bem distribuído dentro da mochila. Os livros e cadernos mais pesados ficam bem rentes à coluna. Não deixe os materiais soltos na mochila, isso provoca movimentos de desequilíbrio e sobrecarga de impacto.

DEIXE UMA RESPOSTA