O câncer em crianças e adolescentes é considerado uma das doenças mais temidas no mundo inteiro, apesar disso é visto como uma condição rara. Cerca de 12 mil novos casos de câncer infantil são registrados no Brasil a cada ano, segundo estimativas do Instituto Nacional do Câncer (Inca).

A americana Chrissy Turner, 10 anos, tornou-se a mais jovem sobrevivente do carcinoma secretor da mama, um tipo extremamente raro de câncer, mesmo em adultos, que afeta uma pessoa a cada mil.

A descoberta veio depois que a menina notou um caroço enquanto vestia um pijama. Seus pais, Annette e Troy, que já lutaram contra o câncer, decidiram não se arriscar e rapidamente buscaram atenção médica para a filha.

Após um ultrassom, os médicos confirmaram o diagnóstico de que a menina, de apenas 8 anos, tinha câncer de mama. “É devastador. Como você conta para sua filha que ela tem câncer?”, disse o pai em entrevista ao People.

No final de 2015, Chrissy passou por uma mastectomia para impedir que o câncer se espalhasse. Depois da cirurgia, os doutores puderam confirmar que o câncer estava isolado nos gânglios linfáticos e não havia chegado a outras partes do corpo. Desde a remoção do seio direito, ela faz exames a cada três meses e passará por uma cirurgia reconstrutiva quando completar 15 ou 16 anos.

“Ha um mês atrás ela teve o primeiro encontro com o cirurgião plástico, para que ela saiba quais são suas opções. Ela acabou de começar a desenvolver seu seio esquerdo, então nós ainda temos algum tempo. Só queremos que ela se prepare para isso”, comentou a mãe da menina.

Agora em Outubro, Mês de Conscientização sobre o Câncer de Mama, a família decidiu participar de alguns eventos comunitários para aumentar a conscientização sobre a importância de financiar a pesquisa sobre câncer de mama.

DEIXE UMA RESPOSTA