O sangue é formado basicamente por três componentes principais: os glóbulos vermelhos ou hemácias, os glóbulos brancos ou leucócitos, e as plaquetas ou trombócitos. Os problemas relacionados às alterações destes componentes no sangue podem ser identificados através de exame hematológico, permitindo uma análise quantitativa e qualitativa do mesmo.

Existem muitos problemas e doenças que podem ser identificadas através da contagem das células no sangue, ajudando tanto no diagnóstico quanto no tratamento destas. Vamos conhecer abaixo o que é o problema de leucócitos altos ou de leucócitos baixos, saber o motivo dos leucócitos alterados e mais informações sobre esta questão.

O que são os leucócitos e quais suas funções?

O processo de formação das células do sangue é chamado de hematopoiese, ocorrendo basicamente na medula óssea, onde existem células precursoras de todos os tipos de células do sangue que são capazes de se transformar em outras células. Estas passam por um processo de maturação até que sejam diferenciadas em glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas.

Os leucócitos, também chamados de glóbulos brancos, são células incolores, de formato esférico, produzidas pela medula óssea e podem ser encontradas ao longo de todo o corpo humano, principalmente no sangue e no sistema linfático. Estas células são arredondadas e, diferentemente das hemácias e das plaquetas, contêm núcleo celular. Os leucócitos são estudados há mais de 150 anos, existindo diversos relatos sobre a observação das suas características.

Os glóbulos brancos são agrupados em duas categorias: os leucócitos mononucleares (linfócitos e monócitos) e os polimorfonucleares (neutrófilos, eosinófilos e basófilos). Estas células desempenham a função de defesa do organismo, ajudando a livrar o mesmo de diversas doenças, principalmente aquelas causadas por vírus, parasitas e bactérias, entre elas infecções e alergias.

Os leucócitos também são responsáveis pela limpeza do organismo, ajudando a eliminar as células mortas e os tecidos que precisam ser eliminados. Em casos mais raros, eles podem atacar os tecidos do próprio organismo, causando as chamadas doenças autoimunes. Assim que são formados, os leucócitos são enviados pela corrente sanguínea e serão transportados para onde for necessário atuar.

Leucócitos altos ou baixos demais: o que é?

Vários fatores podem influenciar na liberação destas células e sempre fica uma determinada quantidade de leucócitos armazenados na medula, representando um suprimento de células. Quando um vírus, uma bactéria ou qualquer outro organismo entra no corpo de forma indevida, os leucócitos são atraídos por substâncias presentes nos locais ocorrendo uma resposta migratória. Este processo é conhecido como quimiotaxia.

A vida dos leucócitos após sua liberação na corrente sanguínea dura em torno de 4 a 8 horas e nos tecidos onde eles atuam, a vida dos leucócitos é de 4 a 5 dias. Em um adulto, milhões de leucócitos morrem todos os dias e seus restos são, posteriormente, removidos pelos macrófagos.

Os leucócitos fazem parte do processo realizado pelo sistema imunológico e cada subtipo deste grupo realiza uma função bastante específica e distinta entre si, formando o conjunto de todos os processos imunológicos.

A estrutura de um leucócito vista através do microscópio óptico é dividida em granulosos e agranulosos. Entre os leucócitos granulosos estão os neutrófilos, os eosinófilos e os basófilos. Os leucócitos agranulosos são divididos em monócitos e linfócitos.

Quais os valores de referência dos leucócitos?

O exame de sangue, chamado de hemograma, é um dos exames mais solicitados por médicos, permitindo a avaliação da contagem de todas as células do sangue, incluindo-se a contagem total de leucócitos. É possível ainda obter a contagem de leucócitos na urina também.

Através do hemograma é possível se fazer uma contagem total de leucócitos para avaliação da saúde do paciente. Um ser humano adulto possui cerca de 30% de leucócitos em todos os tipos de células do sangue. Os valores de referência normais de leucócitos no sangue irão variar de pessoa para pessoa, dependendo da idade e do sexo.

O valor normal estimado para adultos deve ficar entre 4.000 e 12.000 glóbulos brancos/µL. Qualquer alteração nesta contagem pode trazer graves problemas ao organismo.

Os resultados que apresentem leucócitos alterados podem representar diversos problemas. Quando o exame apresenta leucócitos altos (valores acima de 12.000 glóbulos brancos/µL) isto é chamado de leucocitose e pode representar uma infecção bacteriana, uma inflamação, algum traumatismo, um aumento expressivo do estresse e pode indicar até mesmo um quadro de leucemia.

O aumento do número de leucócitos indica a existência de uma intensa atividade no combate a infecções causadas por bactérias.Quando o exame apresenta leucócitos baixos (valores abaixo de 4.000 glóbulos brancos/µL) isto é chamado de leucopenia, podendo ocorrer alguma variação destes valores ao longo da vida do paciente, estando, porém, normalmente associado a algum problema de saúde.

A leucopenia pode representar um sintoma dos tratamentos de quimioterapia e de radioterapia, além de estar relacionado a doenças do sistema imunológico.

DEIXE UMA RESPOSTA