Apesar de os treinos de MMA terem ajudado a definir o corpo de Paolla Oliveira para sua nova personagem em “A Força do Querer”, da Globo, a alimentação também contou (e muito!) para chegar a esse resultado.

Patrícia Davidson, nutricionista da loira e colunista da CORPO, revelou que a bela precisou mudar o cardápio para interpretar Jeiza na nova novela das 21h. Quer saber tudo sobre a nova alimentação da beldade? Confira abaixo!

O que mudou na dieta de Paolla Oliveira para a novela “A Força do Querer”?

Foi feito um planejamento alimentar personalizado, respeitando a rotina de exercícios e gravações. Através do resultado do exame de intolerância alimentar, retiramos da rotina alguns alimentos que não estavam adequados. Paolla aumentou muito os treinos físicos, que foram intensos, então programamos pré e pós treinos, assim como vitaminas para dar conta da rotina.

Quais alimentos foram indicados para ajustar a correria de gravações?

Indiquei que ela consumisse nuts, tomatinhos, cenoura baby ou frutas.

O que ela come antes e depois de malhar?

Como pré-treino ela consome café com óleo de coco, uma raiz e queijo. Após o exercício, uma proteína magra e salada de folhas e legumes variados.

Tem dia livre que ela pode comer o que desejar?

Não incentivo esse tipo de prática, pois nosso corpo funciona igual em todos os dias, e um dia inteiro de extravagâncias pode fazer o intestino desandar, as pernas incharem, a disposição despencar… Além disso, exceções dificultam a retomada da rotina saudável. O ideal é mostrar que é possível ter uma vida saudável sem abdicar dos prazeres alimentares.

O que a atriz pode comer quando dá vontade de comer doce?

Chocolates amargos são ótimas opções, pois além de matar a vontade de doce, ainda trazem benefícios à pele.

O que ela não come nunca?

Pedi para ela evitar o máximo possível consumir refrigerantes, doces, salgadinhos e produtos mais industrializados.

Qual é o segredo pra perder gordura corporal e não músculo?

O segredo principal é elaborar uma dieta com as proteínas adequadas (na clínica fazemos testes que avaliam isso), e com as refeições pré e pós treino bem orientadas. No caso da Paola, deixamos as fontes de carboidrato em horários estratégicos e orientamos preferir as raízes (aipim, batata baroa, inhame…). A medida que os treinos foram evoluindo, fomos introduzido mais carboidrato.

DEIXE UMA RESPOSTA