Marido provoca mais estresse do que filho, diz pesquisa

0
90

O que é mais difícil para uma mãe: lidar com os filhos ou com o marido? Para muitas mulheres é o companheiro quem leva a pior nesse embate. Os resultados foram comprovados em uma pesquisa do site norte-americano Today.com, feita com 7 mil mães. Quando perguntadas sobre quais eram suas maiores fontes de estresse, o marido encabeçava a lista de 47% delas, ultrapassando as “categorias” filho e trabalho.

Agir como outra criança que precisa de atenção é um dos fatores que dá pontos extras aos homens da casa. As participantes do estudo alegaram que, após um dia corrido no trabalho, atenção e preocupação com as crianças e cuidados com a casa, muitas vezes não sobra disposição para se dedicar ao marido, o que acaba gerando cobrança e falta de compreensão – de ambos os lados.

A psicóloga Helena Maffei Cruz, da Associação Brasileira de Terapia Familiar (SP), explica que este tipo de conflito é normal, principalmente após o nascimento de um filho. Por tudo o que a mulher passa na gravidez, incluindo alterações hormonais, a maternidade é, segundo a especialista, uma experiência emocionalmente forte, que a deixa sensível e preocupada com a fragilidade do bebê. “Já o homem se vê perdendo o lugar de único objeto de atenção da esposa. Não raro, suas próprias fragilidades e dependências ficam à flor da pele e, muitas vezes, ele sequer consegue entender o porquê”, explica.

Por isso, acontece um descompasso na rotina do casal. “Para o pai pouco se altera. Ele continua saindo para trabalhar e faz suas atividades normais ao longo do dia. A mulher tem, no mínimo, quatro meses de licença e precisa aprender os ritmos do bebê, amamentar, perder o peso que ganhou na gravidez e voltar a olhar para si como a mulher do marido”, reflete a psicóloga.

A boa notícia é que todo período de adaptação passa. A terapeuta familiar Márcia Moreira Volponi, da PUC-SP, explica que a maturidade do casal no sentido de compreender que a história mudou com o nascimento do bebê acontece com o tempo. O mais importante é que que marido e mulher entendam que não podem abrir mão das necessidades que tinham antes da criança, como sair, viajar, conviver com amigos e, claro, namorar.

Uma ajuda vai bem

Mas, não é só a dificuldade de dividir a atenção entre marido e filho que tem estressado as mulheres. A falta de comprometimento dos homens com as tarefas domésticas é mais uma lenha na fogueira feminina. Uma em cada cinco participantes da pesquisa do Today.com afirmou não receber a ajuda suficiente do companheiro. Aí fica mesmo difícil não se estressar com um monte de louça para lavar na pia ou uma cama bagunçada.

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA