Diga adeus a rinite alérgica!

0
80
Child with cold

A rinite é uma reação imunológica causada pelo contato de agentes alérgenos com o revestimento do nariz. Em contato com esses alérgenos, a mucosa do nariz inflama e incha, em um processo acompanhado de sintomas como coceira, espirros, secreção nasal e entupimento do nariz. Há vários tipos de rinite. A vasomotora é uma reação a perfumes e poluição; a irritativa, causada pela poluição e comum em cidades industrais; a medicamentosa, desencadeada pelo mau uso dos medicamentos nasais. No Brasil e no mundo, a forma mais comum é a rinite alérgica, causada pela reação do sistema imunulógico a pó, bolor, pólen, ervas, árvores e animais, principalmente.

A rinite e o inverno – Alguns fatores explicam o aumento da incidência de crises de rinite no outono e no inverno. “No tempo frio, as pessoas ficam tempo mais em ambientes fechados, facilitando a contaminação. Além disso, roupas guardadas são tiradas do armário, trazendo cheiros fortes e mofo”, diz o presidente da associação, o alergista José Carlos Perini. “As vias respiratórias gostam de ar quente, úmido e limpo. O ar frio e poluído e o tempo seco são uma grande agressão a elas”, afirma Olavo Mion, professor de otorrinolaringologia da USP.

De acordo com Mion, muitas pessoas têm rinite e não sabem. “Os sintomas são confundidos com os do resfriado. Pessoas que ficam ‘resfriadas’ sempre geralmente têm rinite alérgica”, diz. Crianças e adolescentes são os mais atingidos pelo problema. “Nos grandes centros urbanos do Brasil, de 26% a 30% dos jovens de 10 a 18 anos têm rinite”, afirma Perini.

Tratamento e prevenção – Cada tipo de rinite tem um tratamento específico, por ser causado por um agente diferente. Soros nasais e remédios antialérgicos são os meios comuns para se livrar da doença. Um método eficaz e de longa duração usado atualmente é a imunoterapia. Trata-se de vacinas antialérgicas, que ajudam a tornar o sistema imune tolerante aos fatores desencadeantes das crises. A prevenção mais eficaz, no entanto, é evitar os agentes que causam a alergia.

1. Manter a casa ventilada e limpa

O desencadeador mais comum da rinite alérgica é o ácaro, um micro-organismo presente na poeira. Deixar o ar circular pela casa e passar pano úmido todos os dias ajudam a eliminar esse agente alérgico, podendo reduzir a incidência de crises durante todo o ano. O uso das vassouras só espalha a poeira e o micro-organismo pela casa, agravando o problema. Já o aspirador, segundo José Carlos Perini, pode ser utilizado quando conta com o filtro Hepa, um acessório que retém as menores partículas de sujeira, ao invés de espalhá-las pela casa.

2. Cobrir camas e sofás

Pelos de cachorros e gatos são desencadeadores comuns da rinite alérgica. Não deixar os animais subirem em camas e sofás ajuda a evitar o contato dos pelos com as vias respiratórias. Caso seja impossível manter os bichinhos o tempo todo no chão, cubra os móveis com lençóis ou colchas que possam ser removidas e lavadas. A recomendação vale também para pessoas que não têm animais em casa.

3. Lavar roupa com água quente

Lavar roupas, cortinas, tapetes e edredons com água quente é a forma mais eficiente de se livrar dos fungos e ácaros que estão nas peças. Roupas de frio retiradas do armário devem ser lavadas antes do uso, já que o armazenamento faz com que o ácaro e a poeira se acumulem entre os fios. A recomendação é evitar tapetes.

4. Utilizar climatizador de ar

O uso de climatizadores ajuda a melhorar a qualidade do ar da casa. Esses aparelhos contam com filtros que retiram pólen e ácaros do ar. Além disso, geralmente contam com função umidificadora, que ajuda a umidificar o ar no ambiente durante os tempos secos.

DEIXE UMA RESPOSTA