Junto com as mudanças hormonais, o corpo da mulher passa por inúmeras transformações físicas durante a gravidez. Tudo para que o organismo feminino esteja pronto para gerar uma nova vida. Porém, algumas dessas alterações podem causar efeitos indesejados e, muitas vezes, permanentes como as estrias.

Estrias na gravidez: quando aparecem?

As tão conhecidas marquinhas da pele chegam a atingir de 55% a 90% das gestantes e podem aparecer durante ou mesmo após a gravidez. “As estrias costumam aparecer principalmente na fase final da gestação, podendo ocorrer inclusive logo após o parto, já que é nesse momento em que a pele sofre o maior estiramento”, explica a dermatologista Paula Sanchez, membro titular da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

De acordo com a médica, as estrias surgem porque, durante a gravidez, a pele da gestante estica para acomodar o crescimento do bebê, ocasionando um estiramento das fibras elásticas e colágenas que se assemelha a uma cicatriz.

Embora sejam mais comuns na região da barriga, as estrias aparecem com frequência nos seios, nádegas, flancos e até mesmo nos braços das mulheres. Apesar de ficarem pouco à mostra, as marquinhas nos peitos são justamente um dos maiores incômodos entre as mulheres que tiveram filhos.

Como evitar estrias nos seios na gravidez?

Durante a gravidez, as mamas da mulher crescem por conta da produção de leite e tendem a estirar a pele nesse processo. De acordo com a médica Paula Sanchez, a genética é o principal fator que define o aparecimento das estrias nos seios.

“É muito difícil evitar ou impedir o surgimento delas quando a pele sofre um estirão importante. Porém, manter a área muito bem hidratada é a principal medida para evitar as estrias nos seios”, aponta. Ou seja, a prevenção é ainda a melhor solução contra as marquinhas.

O cuidado com a pele é necessário desde o início da gravidez e também deve ser estendido após o parto. Segundo a dermatologista, é importante que a mulher mantenha o hábito de hidratar bem a pele, ingerir muito líquido e manter uma alimentação balanceada durante e após a gestação.

Outra recomendação é evitar o ganho de peso em excesso ao longo da gravidez, feito sempre sob supervisão de um médico ginecologista obstetra. Além de proteger a pele, o controle também resguarda a saúde da gestante e do bebê.

Ainda que não haja um método 100% eficaz contra as estrias, muitos médicos e especialistas recomendam o uso de cremes e óleos hidratantes que podem ajudar na prevenção do problema. “Os cremes hidratantes podem prevenir o surgimento, pois eles realmente hidratam a pele. Já os óleos não hidratam, mas fazem uma barreira de proteção que deixa a pele macia”, explica a médica Paula Sanchez.

Com tantos produtos disponíveis no mercado, a farmacêutica esteta Marcela Gouveia indica que o ideal é escolher hidratantes que contenham vitamina E, que tem a capacidade de aumentar a hidratação e a elasticidade da pele. “Fazer massagem nas mamas com o creme também ajuda a evitar o aparecimento das estrias”, diz.

De acordo com a especialista, a eficácia dos produtos depende de muitos fatores, como a cor da estria, a profundidade, o tipo de pele da paciente e seus hábitos. “O mais recomendado é realizar uma avaliação com um profissional habilitado e capacitado para saber o tratamento mais indicado. Nem sempre um creme será a solução ideal”, alerta.

DEIXE UMA RESPOSTA